Dia da criatividade: 6 segredos das pessoas criativas que não te contaram

Compartilhe

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on email

Compartilhe

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on email

17 de novembro é celebrado o dia da criatividade. E, para muitos, esse termo causa um certo desconforto, a ponto de quase ser um tabu.

Se o seu caso é esse e você acha que alguém precisa nascer com algum dom para ter criatividade, nós vamos te tranquilizar: isso é mentira!

Sendo uma das soft skills mais procuradas pelo mercado de trabalho, a criatividade pode, sim, ser alcançada.

Por isso, trouxemos aqui 6 técnicas que pessoas criativas desenvolvem, baseadas no livro “Roube Como Um Artista”, de Austin Kleon. Confira!

1) Colecionar referências

Segundo o escritor francês André Gide, “tudo que precisa ser dito já foi dito. Mas, já que ninguém estava ouvindo, é preciso dizer outra vez”.

Dessa forma, ele sinaliza a importância de ter referências para seus projetos e atividades.

Entender como já fizeram anteriormente, o que deu certo e o que tenha a ver com a solução do seu problema, pode ser uma forma de conseguir uma saída criativa.

Não tem como ser 100% original e o quanto antes você conseguir aceitar esse conceito é mais fácil para buscar as influências certas para o seu projeto.

Afinal, nós somos constituídos pelo somatório das pessoas que convivemos e dessa maneira conseguimos desenvolver nossas personalidades e formas de agir.

A mesma coisa acontece com os projetos criativos.

Eles são pequenos pedaços de projetos anteriores e o que foi capaz de juntá-los foi a percepção de uma pessoa que estava assimilando todas essas referências.

2) Fazer atividades manuais

Seu corpo também precisa fazer parte do seu trabalho, de alguma maneira. Afinal, o corpo e a mente estão conectados e se comunicam o tempo todo.

Sabe a frase “pôr o corpo para trabalhar”? Então, a etapa em que você pode desenvolver melhor sua criatividade está onde você consegue unir os dois.

Se simplesmente começarmos a nos movimentar, se pegarmos em um lápis, ou folhear o caderno, a ação dispara nosso cérebro e faz com que ele comece a pensar.

Tente fazer algumas atividades de modo analógico e veja como as ideias vão aflorando.

3) Cultivar hobbies

A importância de ter um hobbie é pela leveza com que fazemos essas atividades.

Sem cobrança, sem medo de errar e sem pressão. Apenas uma atividade que desejamos muito fazer para nos divertir e nos distrair da rotina.

Esses momentos de distrações são fundamentais também para sua criatividade. Afinal, o chamado “ócio criativo” é composto dessas horas.

O ócio criativo é um momento em que você usa para se distrair completamente do projeto em que está imerso.

O autor do livro “Ócio Criativo”, Domenico De Masi, diz que o nosso cérebro precisa de ócio para produzir ideias.

Dessa maneira, é possível que nossa mente processe a solução dos problemas justamente enquanto estamos distraídos.

Os momentos de pausa e de lazer são essenciais para uma mente criativa, pois uma mente cansada não consegue produzir nada, não é mesmo?

Portanto, você não precisa de um “dia da criatividade” para começar a ser criativo, sua criatividade está nas pequenas pausas que pode fazer durante o dia.

4) Fazer algo que você gostaria de consumir

Seja um projeto, uma atividade ou uma apresentação.

Coloque-se no lugar da pessoa que irá receber o seu trabalho e tente entender se aquilo fará sentido para ela.

E, principalmente, se fará sentido para você. Pois nada mais desanimador do que fazer algo que não se interessa ou que não gosta.

No livro “Roube como um artista”, o autor diz que “Somos atraídos por certos tipos de trabalhos porque as pessoas que fazem esses trabalhos nos inspiram”.

Por isso, faça as atividades que gosta e isso será refletido no resultado bem feito que você se dedicou tanto para concluir.

5) Compartilhar seus resultados

Quando você compartilha o seu processo e convida as pessoas para uma troca ou um brainstorming, você tem a possibilidade de aprender.

Além de conseguir novas visões sobre um mesmo assunto, você passa a enxergar outras possibilidades para a solução ou finalização do projeto.

É possível aprender muito sobre esse assunto específico, pois, assim, você consegue se atentar a diferentes perspectivas.

Tanto das pessoas quanto do problema a ser resolvido. O compartilhamento de ideias é uma forma de aflorar a criatividade.

6) Praticar o “menos é mais”

Quanto mais você precisa tirar ou enxugar de um projeto, mais ideias você precisa ter para uma solução final.

Dessa maneira, você consegue pensar diversos modos de se ter o mesmo resultado usando pouco e tirando o excesso.

Ao enxugar os processos e os excessos do projeto, você passa a vê-lo com mais clareza e de maneira mais fluída, contribuindo para a sua solução.

Além disso, você começa a perceber a necessidade de novas ferramentas e novas ideias, ou seja, de alguma forma impulsionando sua criatividade.

Você pode estar com medo de começar e isso é bem comum. Existe uma ameaça muito comum que é chamada de “síndrome do impostor”.

Mas, para ser criativo, basta entender que a criatividade é como um músculo e que ele precisa ser exercitado para não perder sua rigidez e seu bom funcionamento.

Nesse dia da criatividade, aproveite para se inspirar e colocar a mão na massa! E compartilhe esse texto para estimular outras pessoas a fazerem o mesmo 💡

Victoria Fernandes

Victoria Fernandes

Redatora e estudiosa sobre redes sociais. Nas horas vagas, acessa o Twitter e vê vídeos de gatinhos no TikTok.

Comentários

Deixe uma resposta