Cronograma de estudos: tudo que você precisa saber para montar o seu

Compartilhe

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on email

Compartilhe

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on email

Provas à vista? 🧐
É hora de se planejar criando um cronograma de estudos perfeito!

Você está se preparando para o quê? Enem? Concurso? Vestibular? Provas da escola ou da faculdade?

Seja qual for seu objetivo, montar um cronograma de estudos é a maneira mais eficaz de se organizar para qualquer tipo de teste.

E, é claro, aumentar suas chances de mandar bem!

Mas, então, por onde começar?

Eu te explico tudinho aqui embaixo. Vem comigo!

Escolha um formato de cronograma para chamar de seu

Antes de tudo, lembremos que há diversas formas de criar um cronograma de estudos: seja no papel ou através de recursos digitais.

Muitos educadores indicam sites e aplicativos, como Trello, Monday e Easy study para quem tem um perfil mais tecnológico.

Já aqueles que são mais “papel e caneta na mão”, podem optar por começar do zero em um caderno, ou baixando algum modelo pronto no Passei Direto.

Se você preferir imprimir o cronograma, isso também é possível caso sua conta em nossa rede seja Premium.

Veja como é fácil:



1. Em primeiro lugar, acesse passeidireto.com;

2. Agora, digite “cronograma de estudos” na busca;

3. Em seguida, escolha um modelo que mais gostar;

4. Clique no ícone de impressora (canto superior esquerdo);

5. Por último, digite seu CPF e clique em imprimir.

Quais as prioridades e as dificuldades nos estudos?

Dependendo da prova que você irá fazer, há algumas disciplinas que têm um peso maior na nota.

Ou seja: se dominar o assunto, já garante vantagem no resultado final.

Nesse sentido, essa poderá ser sua prioridade.

Ao estruturar seu cronograma, é importante que a disciplina em questão apareça mais vezes durante o planejamento semanal.

Ainda assim, ela pode ser abordada de diversas formas, ok?

Olha só um exemplo:

Segunda: teoria – tudo sobre aquele assunto
Quarta: questionário – responda perguntas sobre aquele assunto
Sexta: revisão – revise todo o conteúdo estudado sobre aquele assunto

Definida as prioridades, chegou a hora de focar nas dificuldades.

E aí, você deve estar se perguntando: “Minha dificuldade pode ser também minha prioridade?”.

A resposta é: sim, sem sombra de dúvidas!

As disciplinas ou assuntos que são mais desafiadores para você também merecem cuidado especial.

Portanto, inclua-nos em horários vagos, estabeleça horários exclusivos ou mescle com matérias relacionadas. Tipo assim:

Dificuldade: redação
Matéria: português
Dica: Se a terça-feira estiver reservada para estudar português, dedique a última hora para focar em redação. Sacou?

Como resultado, você vai aproveitar o que está fresquinho na sua mente para facilitar a aprendizagem daquilo que faz você quebrar a cabeça.

Seus horários, suas regras

Agora que você já sabe qual formato usará e quais são suas prioridades e dificuldades, o próximo passo é: definir os horários do seu cronograma de estudos.

Você sabia que cada pessoa tem o seu tipo de cronotipo?

Ou seja, cada organismo tem sua própria predisposição em determinados picos de energia ou cansaço.

Então, isso quer dizer que embora existam modelos de planejamento de estudos, só você é capaz de montar o seu fiel à sua realidade.

De que adiantaria, por exemplo, iniciar seus estudos a partir das 6h da manhã, se o seu pico de energia é durante a tarde?

E não, não é porque seu perfil é mais noturno que você não poderá estudar durante o dia.

O importante é entender como funciona seu cronotipo e criar uma rotina menos exaustiva. Beleza?

De forma prática, ficaria mais ou menos assim:

HorárioRotina
6hAcordar
6:30hTomar banho
7hTomar café da manhã
8hIniciar os estudos
Exemplo de rotina matinal para perfis mais noturnos

Por falar em rotina exaustiva…

Um cronograma de estudos perfeito não é só aquele que tem todos os horários preenchidos e organizados, mas principalmente aquele que tem descanso incluso.

E quando eu digo descanso, estou me referindo às pausas e às noites de sono.

Pausas: intervalos de 5 minutos entre uma disciplina e outra + 1 dia de folga na semana.


Noites de sono: dormir com qualidade, de 6 a 8h seguidas.

Durante o sono, por exemplo, acontecem diversos processos metabólicos que são essenciais para manter o corpo e a mente em desenvolvimento e equilíbrio.

Por isso, devemos levá-lo a sério.

Mariana Araguaia, graduada em Biologia, afirma:

“É durante esse momento que sonhamos, e o que aprendemos durante o dia é processado e armazenado. Portanto, nosso humor, criatividade, atenção, memória e equilíbrio estão intimamente ligados a essa fase.”

Fonte: https://brasilescola.uol.com.br/saude/importancia-sono.htm


Primeiramente, é importante dizer que é comum sentir dificuldade de descansar ou até mesmo encontrar uma brechinha para fazer isso.

Porém, conforme você for se adaptando ao seu cronograma de estudos, vai descobrindo novas maneiras de relaxar.

Ah! E lembre-se sempre: essa é apenas uma fase. Tudo passa.


Então, dê sempre o seu melhor mas não esqueça de se cuidar. Combinado?

Leia também: Bom estudo: as 7 técnicas que talvez você não conheça

Curtiu? Compartilhe esse post com aqueles amigos que também estão se preparando para alguma prova 🧡

Comentários

Este post tem um comentário

  1. Avatar
    Leticia

    Obrigada babi por tanta dica bacana!

Deixe uma resposta