Ano novo: como definir metas de estudo e carreira

Compartilhe

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on email

Compartilhe

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on email

O final do ano está chegando e você já está pensando em como definir metas para o ano que se aproxima?

Então saiba que essa prática não vem de hoje.

O mês de janeiro é dado pelo nome do deus romano Janus, deus dos começos, das passagens, das mudanças, do tempo e dos portões.

Ele é conhecido por ter duas faces, uma que olha para trás e outra que olha para a frente.

Ou seja, ele simboliza justamente o momento de pensar sobre o que passou e planejar o que virá. Assim como suas metas para o novo ano.

Mas você sabia que, de acordo com o U.S. News, 80% das pessoas já desistem das suas metas em fevereiro?

Para isso não acontecer, veja abaixo o que fazer para que você seja uma delas:

Pense pequeno

Pode parecer estranho, mas começar com pequenos passos pode ser uma super estratégia para garantir que as ideias vão sair do papel.

Para isso, encontre algum hábito simples. Por exemplo: “quando eu terminar de comer, lavarei a louça”.

Faça disso um compromisso com você mesmo de que a louça precisa ser lavada após a sua refeição. Sem desculpas, sem mais nem menos.

Durante o dia, tente buscar outros desafios simples para você fazer.

Essa dica também é muito explorada pelo autor BJ Fogg do livro “Micro-hábitos: pequenas mudanças que mudam o mundo”.

Para Fogg, você deve começar por metas bem básicas que você consiga alcançar durante o seu dia.

Por exemplo: “depois que eu acordar, irei abrir a janela e respirar bem fundo”.

Dessa forma, você terá a motivação necessária para desenvolver hábitos de maiores frequências e saberá bem como definir suas metas.

Fortaleça sua autoestima

Assim que você começar a praticar pequenas mudanças no seu dia, comece a entender de uma vez por todas: o que você diz para você mesmo é o que você é.

Ou seja: seja gentil consigo mesmo, cultivando a capacidade da autoconfiança, pois é através dela que você terá a chance alcançar seus objetivos.

Ficamos mais preocupados em abraçar o fracasso dos outros do que os nossos mesmos.

Por isso, não se desafie com algo que você sabe que não conseguirá cumprir.

Seja compreensivo com você mesmo e não se coloque metas impossíveis de alcançar.

Se, por exemplo, você não tem certeza que conseguirá estudar 5 vezes na semana, não prometa isso para você mesmo.

Comece a pensar que a sua meta é 1 ou 2 vezes na semana, assim você ganha gás para, quem sabe, começar a estudar 2 ou 3, ou até mais vezes!

Melhor fazer o melhor que você pode do que acabar não fazendo nada e começar a duvidar da sua própria capacidade.

Dessa forma, você pode afetar sua capacidade de acreditar em você mesmo.

Quando falamos em construir sua autoconfiança, é melhor perder uma batalha do que toda a guerra.

Crie desafios

Nada melhor do que uma gamificação para deixar as coisas mais divertidas e leves, né?

Portanto, pense em diversos desafios durante o seu dia para fortalecer sua habilidade em acreditar em você mesmo, e, assim, conseguir concluir a tarefa.

Através dessa técnica, você não se permitirá procrastinar.

Você pode pensar em desafios como: “não vou olhar o celular até terminar esse capítulo da matéria” ou “vou mandar currículo para x vagas de estágio hoje”.

Todos esses possíveis desafios são uma excelente maneira para você construir sua autoconfiança.

Você deve ver sua confiança como um músculo que deve a todo momento ser fortalecido.

Assim como você vai na academia para fortalecê-lo, você deve repetir essas atividades em forma de desafio todos os dias também.

Quanto mais você trabalhar consigo mesmo, mais terá a capacidade de crescer através do sucesso pessoal.

Cultive o otimismo

Sabemos que é impossível a vida de alguém não ter algo negativo.

A parte em que moram nossas frustações e nossos fracassos são onde moram nossa oportunidade de crescer.

Porém, a chave é treinar para tentar ver o que você pode aprender durante esses episódios.

Não deixe a insegurança falar mais alto e isso acarreta em um momento para baixo onde você só enxerga os contras.

Tente entender por que não conseguiu fazer ou continuar tal tarefa.

Às vezes não são motivos para se culpar mas, sim, tentar entender o que te levou a não concluir seu objetivo.

Desenvolva a autocrítica

Viver sem autocrítica é como dirigir um carro à noite com o farol desligado.

Tecnicamente, você consegue dirigir, mas você não sabe para onde está indo e para onde pode ir.

Com esse cuidado sobre si mesmo e suas ações, você “ligar o farol” quer dizer conseguir enxergar algumas possíveis mudanças a fim de alcançar suas metas.

A autocrítica acaba por expor alguns hábitos autodestrutivos e até mesmo uma síndrome do impostor.

Afinal, refletir sobre si mesmo também é um hábito a se desenvolver e ajuda a evitar a autossabotagem.

O inimigo número um das metas a serem cumpridas é o impulso autodestrutivo que temos em pensar mal de nós mesmos.

Mas, para isso, procure sempre desenvolver seu autoconhecimento para, enfim, buscar a alcançar seus objetivos.

Conclusão

Bom, como definir suas metas agora você já sabe. Mas, para você, qual é a sua principal meta para o ano que vem?

Aproveite esse finalzinho do ano para refletir sobre isso!

Se esse texto te ajudou a definir melhor suas metas para 2022, compartilhe esse conteúdo com outras pessoas 🧡

Victoria Fernandes

Victoria Fernandes

Redatora e estudiosa sobre redes sociais. Nas horas vagas, acessa o Twitter e vê vídeos de gatinhos no TikTok.

Comentários

Deixe uma resposta